Título: O Ar Que Ele Respira

Autora: Brittainy C. Cherry

Editora: Grupo Record

Ano: 2016

Número de Páginas: 308

Sinopse: 



Eu fui advertida sobre Tristan Cole.

“Fique longe dele”, disseram as pessoas.
“Ele é cruel.”
“Ele é frio.”
“Ele está desacreditado.”

É fácil julgar um homem por causa de seu passado. Olhar para Tristan e enxergar um monstro.
Mas eu não podia fazer isso. Eu tive que aceitar os destroços que viviam dentro dele, porque eles também viviam dentro de mim.
Nós dois éramos vazios.
Nós dois estávamos procurando algo mais. Algo melhor.
Nós dois queríamos juntar os pedaços
destruídos de nossos passados.
Então talvez pudéssemos, finalmente, lembrar de como respirar.



Classificação: 


A cada segundo. Cada minuto. Cada dia. Cada hora.

Olá queridos leitores, a resenha de hoje será sobre o livro O Ar que Ele Respira, da autora Brittainy C. Cherry. Há um tempo queria ler Sr. Daniels, o primeiro livro da autora publicado no Brasil, mas não encontrava em nenhuma livraria o livro físico e acabei comprando O Ar que Ele Respira; e Jesus!, nunca senti tantas coisas confusas ao mesmo tempo enquanto lia. Às vezes, sentia que eles estava fazendo coisas erradas e queria brigar, mas, ao mesmo tempo, eu torcia por eles. Não sei como explicar. Foi uma experiência única.



Esse livro faz parte de uma série (no total são quatro livros) que poderão ser lidos independente da sequência, pois não terão ligação. O fato de serem da mesma série é que cada livro representará um elemento da natureza (ar, água, terra e fogo). Como o título já indica esse livro será do elemento Ar.

Vou logo avisando que é carregado de fortes emoções, pois os personagens estão passando por uma fase sombria nas suas vidas.

Tristan Cole tem uma personalidade sombria, carregada de tristeza e agressividade, prefere a solidão a ter que socializar. Por esse motivo todos da cidadezinha, Meadows Creek, tem medo dele. São várias histórias que rodeiam aquele homem solitário, uns dizem que ele matou um gato só por ele miar, outros dizem que ele é um ex-presidiário, outros que ele matou a própria família, mas ninguém tem coragem de perguntar. Ele afasta todos que tentam se aproximar, a única pessoa que ele conversa é com seu chefe que, por incrível que pareça, é o mais excluído da cidadezinha, pois a loja dele é excêntrica demais para as mentes fechadas, dizem que ele é um louco que mexe com magia negra e quem em sã consciência trabalharia pra um homem assim? Já viu, né; Mente fechada é úo.



O que ninguém sabe é que Tristan perdeu sua família - esposa e filho - em um acidente de carro. E ele não se acha merecedor de viver/respirar, não vê sentido estar em um mundo sem eles e, por isso, acaba se torturando. Cada vez mais, ele se encontra no fim do poço.            

Após a morte do marido, Elizabeth fugiu da cidade onde moravam por um tempo e, agora, está voltando para sua antiga casa e tentando seguir em frente. Não por ela, mas sim por sua filha. No passado, Elizabeth sofreu quando o pai morreu e a mãe simplesmente não soube lidar com a perca do seu grande amor e acabou virando a cabeça. Como assim virando a cabeça? Ela saia com qualquer homem e colocava dentro de casa para, logo em seguida, dispensar o cara. Elizabeth não quer essa vida para sua filha. Em vários momentos, quer desabar (querendo ou não ela perdeu o seu amor), mas encontra forças na sua filha. 

Por obra do destino, eles serão vizinhos. Elizabeth ver em Tristan um reflexo de si, porém um pouco mais devastado (para não dizer muito). Por ela saber como é sentir essa dor, tenta se aproximar dele, contudo Tristan não quer contato com ninguém e tenta resistir e impedir que ela entre em sua vida. Os corações dos dois estão mais que despedaçados, a saudade é dolorida e, para completar, a cidade inteira diz para Elizabeth manter distância de Tristan. Um dia conseguirão ser felizes de novo? 




É uma caminhada longa, cheia de obstáculos e confusa para os dois. Muitas vezes não sabem o que é certo ou errado, misturam realidade e fantasia. Confesso que, em alguns momentos, fiquei apreensiva pelos dois,. Foi um romance lindo de lê. Tive um certo preconceito no começo, mas depois abri meu coração para esse casal que sofreu, mas ainda procuram a felicidade. 

P.S.: Sem falar que aconteceu uma coisinha lá no final que ,#AveMaria, fiquei de queixo caído.